quinta-feira, 31 de julho de 2014

Blocos e Faixas - Lama Padma Samten

Blocos de treinamento e faixas de operação (modos de operar)

Seguem minhas anotações do que Lama Padma Samten ensinou durante o retiro de inverno 2014, no CEBB Viamão, RS

Esta parte dos blocos e faixas achei muito bom para mensurar a evolução na prática.


Blocos


- Bloco -1 - Pessoas fazendo mal a outros para obter algo. Potencial cortado.

- Bloco 0 - Pessoas com comportamento padrão no mundo atual. Egoísmo. "Normose" (normalidade como doença). Não percebem o samsara. Bom ensinamento para esta fase: roda da vida. Shamata e metabavana, se possível.

- Bloco 1 - Pessoas começando a perceber a falta de sentido do samsara. Podem operar no mundo com alguma liberdade em relação a avydia certas vezes. Ainda reclamam das outras pessoas. Início do questionamento sobre a "normalidade padrão" (falta de sentido). Início do estudo budista. Termina quando a pessoa entende cada ponto de sua vida a partir do Darma. Entende que o sofrimento (dukkha) pode cessar. Ensinamentos: Doze elos. Nobre caminho de oito passos. Shamata e metabavana, se possível.

- Bloco 2 - Bloco longo. Começa com o voto de refúgio (nas três jóias) e surge Bodichita, de fato, como energia autônoma e estável para ajudar os seres (pode ser treinada com shamata). Pessoas com decisão de focar na prática. Prática não focada na identidade. Motivação. Shamata, metabavana e prajnaparamita. Ver a morte como fim de todo esforço samsárico inútil. Praticante empolgado. Sensação de que deveria ouvir menos e praticar mais. Necessário humildade e paciência. Treinamento (faixa 2). Acha incrível ainda se incomodar com as outras pessoas ou qualquer outra coisa do samsara. Sensação de que já tentou de tudo fora do Darma, sem sucesso. Aqui, falar de moralidade faz sentido (não nos blocos anteriores). A consciência que permite meditar (que é o que interessa na meditação, e não os objetos percebidos durante a prática) se desloca progressivamente do samsara  até a lucidez primordial (reconhecendo bolhas e depois vacuidade e luminosidade). É quando se completa o bloco dois. Clareza sobre as oito consciências. Olhar lúdico sobre o mundo. Estabilidade interna independente das coisas. Aproximação do aspecto secreto, silencioso que se mantém nas transmigrações. Reconhecimento da presença incessante, natureza livre (não é uma pessoa - mas permite o surgimento das identidades), fora de todas as bolhas de realidade. Alegria. Liberdade. Sem responsividade. A partir daí, metabavana sincera com equanimidade é possível (olhar de um lugar mais amplo do que nossas bolhas usuais). Compaixão (Chenrezig) e lucidez (Manjursi) andam juntos. Aspiração positiva pelo outro: Bodichita. (Sempre que aparece essa alegria interna, vem junto a aspiração de ajudar os outros). Capacidade de perceber a vacuidade internamente e extremamente (coemergência).Prajnaparamita (faixa 3).

- Bloco 3 - Maturidade a partir da condição livre. Praticantes com capacidade de compaixão. Manifestação de meios hábeis. Olham pros outros não como recursos. Sem o olhar instrumental do samsara. Estabilizando a lucidez.

- Bloco 4 - Bodisatva. Levantar e ir pra lugares "difíceis" ajudar. Está andando no mundo apenas para trazer benefícios aos seres.


Faixas

- Faixa 1 - Impulso. Igual animais. Treinamento adequado no budismo: faça isso / não faça aquilo. (Repetições para condicionamento positivo.)

- Faixa 2 - Capacidade de planejamento. Causalidade. Metas. No budismo: método racional de treinamento progressivo. Desenvolvimento de aptidões.

- Faixa 3 - Coemergência. Saber internamente. Início do exame e análise do mundo interno. Saber que a ação no mundo depende disso. Início da percepção sutil de coemergência. Abertura de visão. Mais constância na energia. No budismo: práticas específicas de coemergência. Lucidez e energia independente do exterior. Shamata e Vipassana.

- Faixa 4 - Mística. Fé. Conexão pelo coração. No budismo: poder todo está nos mestres. Se o Darma milagrosamente nos chegou, resta-nos a fé.

Imagem do CEBB - Lama Padma Samten em Viamão
Imagem do CEBB - Lama Padma Samten em Viamão

10 comentários:

  1. Por que dividiu em blocos, e em seguida em faixas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que é algo pra nossa operação ocidental,sendo que bastaria um olhar profundo no olho do mestre pra se liberar,mas não conseguimos isso,temos que pegar pelo modo didático.

      Excluir
  2. Pelo que entendi os blocos são os níveis de moralidade e as faixas são os níveis de como se vê e se opera no mundo.
    Em bloco -1 a pessoa ainda "apronta" muito, enquanto que no bloco 4 a compaixão já é plena e incondicional.
    Em faixa 1 se opera pela ordem, faixa 2 já entende causa e consequência progressiva, racionalidade. Em faixa 3 pela intuição, e em 4 finalmente já se tem fé espontânea sem precisar se apoiar em outras visões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado a você por postar esses conteúdos tão valiosos.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Obrigado pelo carinho, Clovis, tudo de bom pra você!

      Excluir
  4. Gostei muito das anotações, mas tenho uma dúvida: os blocos não deveriam ser divididos em faixas específicas? Por exemplo: Uma pessoa no Bloco -1 em Faixa 1 manifesta determinadas ações, enquanto uma pessoa em Bloco 0 em Faixa 1 manisfesta outras. Notei que você deixou as faixas pro final, mas não especificou cada uma delas nos blocos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi como entendi na época. Atualmente o Lama tem falado apenas dos blocos... Abração

      Excluir